O que fazer quando não existe cena eletrônica na sua cidade

A cena eletrônica, ou simplesmente música eletrônica, consiste em um dos ritmos que mais se expandiram no mundo ao longo dos últimos anos.

Sendo dominante em festas de vários tipos e tendo inúmeros festivais anuais espalhados pelo mundo todo para os amantes deste gênero, a cena eletrônica é hoje também uma grande oportunidade de negócio, principalmente para aqueles que sonham alto e tem garra.

Mas, o que fazer quando a sua cidade – e até mesmo região – não tem espaço e/ou público para a cena eletrônica? Como levar adiante sua paixão de DJ/Produtor sem o apoio local?

Se essas são algumas das suas dúvidas, fique tranquilo porque neste artigo você vai encontrar algumas dicas além de outras informações sobre o que fazer diante dessa adversidade… confira!

O que é cena eletrônica?

Primeiramente, é importante alinharmos bem “o que é cena eletrônica. Podemos chamar de “cena” qualquer tipo de atividade que envolva esse estilo, ou seja, clubs e festas voltadas para o estilo específico, festivais, eventos, comunidades de DJ, produtores e até mesmo fans do gênero.

Se uma determinada cidade ou região tem muito público, clubs movimentados, diversas festas, etc, podemos dizer que esse local tem uma “cena forte”, já um lugar que não tem muito público, ou pouco potencial para crescimento do gênero, falamos que a cena é fraca.

Mais do que um ritmo, a música eletrônica é um estilo de vida. Quem gosta dessa pegada, costuma frequentar inúmeros eventos em busca do prazer de escutar e dançar sob esse tipo de batida.

Quando uma cidade não tem cena eletrônica, seja por ser pequena, por ter outro tipo de cultura ou por falta de oportunidade, os amantes desse ritmo procuram em sua região – e por vezes até mais longe – a fim de aproveitar mais.

É justamente nessas horas que surge a oportunidade de ser DJ! Com tanta gente aproveitando o ritmo frenético eletrônico, ser DJ não é apenas um trabalho, mas sim uma missão de empolgar a todos e fazê-los curtir incrivelmente o momento.

E isso é possível mesmo quando na cidade ou na região não existe uma cena eletrônica. Quer saber como?

5 dicas para ser DJ mesmo se não não existir cena eletrônica na sua cidade 

Antes de mais nada, é sempre importante lembrar que para melhorar suas chances de sucesso como DJ, você precisa ter certeza de que seu lado técnico está afiado e que você está pronto para agitar as pistas.

Por isso é importante você estar familiarizado com seus equipamentos, ter um repertório exclusivo e tracks que não permitem a pista ficar parada, além de estar fera nas técnicas de mixagens.

Se você ainda não está totalmente seguro sobre algum desses pontos, não deixe de conferir o curso de DJ da Academia do DJ, nele você vai aprender tudo o que precisa para dominar qualquer pista e tocar igual ao seu DJ favorito.

Para conferir todo o conteúdo detalhado do curso, basta clicar aqui nesse link ou no botão que está aqui em baixo.

SAIBA MAIS SOBRE O CURSO DE DJ COMPLETO »

 

Quer ser DJ, arrastar muita gente para a diversão, porém sua cidade não tem ainda uma cena eletrônica – algo comum principalmente no interior e no norte/nordeste brasileiro – para que você invista? Confira algumas dicas de como agir nessas circunstâncias:

1 - Crie sua própria cena eletrônica

A primeira dica é bastante óbvia: Criar a sua própria cena eletrônica, é claro! Enquanto muita gente vê como empecilho e problema o fato de que determinado local ainda não tem espaço para este tipo de música e ritmo, outro tanto de pessoas enxerga uma gigantesca oportunidade aqui.

Ser precursor de um estilo dentro de uma cidade é dar um passo para o sucesso, pois os primeiros e ótimos resultados virão diretamente para você contribuindo de muitas formas com o seu trabalho.

Falar isso pode parecer algo assustador, mas você pode começar reunindo seus amigos que também gostam de música eletrônica em algum local legal (balada, bar, etc) em dias e horários de baixo movimento para criar um “point” de música eletrônica local.

A partir daí você pode começar a ser o DJ desse point, oferecendo sempre novidades da música eletrônica, convidando outras pessoas para tocar e aos poucos tornando o “point” mais atrativo até que você tenha capacidade de tornar isso numa festa ou evento rotineiro (semanal, quinzenal, mensal, etc).

Criar sua própria festa é o melhor caminho para se auto promover, criar oportunidades para você tocar e ainda por cima criar uma cena local.

2 - Não deixe a internet e as redes sociais de fora da sua divulgação

Hoje a internet é muito importante em todas as áreas profissionais e para expandir o seu nome no ramo eletrônico, atraindo uma maior visibilidade para o seu trabalho e lhe rendendo contratações, é indispensável estar na internet fazendo campanhas e se fazendo ser notado.

Que tal disponibilizar alguns playlists e sets para serem baixados ou tocados no Youtube, por exemplo? Por que não fazer alguns “Lives” nas redes sociais e compartilhar as melhores partes da sua batida? Com certeza isso chamará a atenção de muitos!

Playlists no Spotify também são uma boa ideia de conteúdo que pode mostrar ao seu público quem você é artisticamente e o que você pode oferecer de melhor para eles.

Não se esqueça do Instagram para compartilhar um pouco mais dos seus momentos mais simples, como aquele equipamento que você acabou de comprar, um trecho daquele projeto de track que você está produzindo, etc.

Seu público gosta de sentir que são próximos a você, dê isso a eles 🙂

3 - Mude para locais que já possuem uma cena

Se você concluiu que na sua região realmente não é possível criar uma cena eletrônica, não tenha medo de bater as asas e ir para longe! Os grandes centros urbanos e cidades como as capitais são ótimos exemplos de lugares em que você poderá ser notado mais facilmente.

Entretanto, vale lembrar que apesar de ter uma visibilidade melhor, nesses locais há também uma repartição de atenção devido aos muitos profissionais que competem diretamente com você. Pode ser necessário mais esforço para ter um bom resultado, portanto fique preparado para novos desafios.

4 - Não tenha medo de arriscar

Mais uma vez vale frisar: Não tenha medo de arriscar! Os sonhos costumam acabar justamente devido à existência do medo, algo que não é nada benéfico.

Por outro lado, procure agir a partir de uma mescla de razão e emoção. Tenha os pés no chão, porém ainda assim não os prenda. Dê saltos para buscar aquilo com que você vem sonhando e sempre acredite em si!

5 - Continue melhorando e ofereça música de qualidade

Criou uma cena eletrônica sensacional e está conseguindo chamar atenção do público desejado? Ótimo! Agora o trabalho acabou? É claro não, mas exatamente pelo contrário!

A hora é agora de investir pesado no aperfeiçoamento do seu ritmo. Busque e encontre diferenciais com que trabalhar a fim de que sua marca fique registrada e conquiste ainda mais pessoas. Para tanto, acompanhe o trabalho de outros profissionais, aprenda novas técnicas de discotecagem e performance, produza tracks únicas e exclusivas por exemplo.

Não desista do seu sonho!

Algumas pessoas nascem com o sonho de arrastar multidões proporcionando a elas divertimento e prazer. Outras simplesmente tropeçam pelo meio do caminho e dão de cara com o sucesso! Em ambas as circunstâncias o talento é necessário para que um nome cresça em qualquer que seja a área profissional.

Como DJ, não desistir do sonho é o primeiro passo para ter uma cena eletrônica com o seu nome. E, por mais que o começo seja difícil – que começo não é?! – é preciso garra, determinação e muita coragem para ir adiante até que os retornos comecem a aparecer junto à admiração e o respeito!

Os mais importantes e conhecidos DJ’s do mundo como David Guetta e o brasileiro Alok tiveram que começar um dia do zero (no documentário "Nothing But The Beat", Guetta e sua ex esposa contam que no começo os próprios faziam a panfletagem de suas festas, da para imaginar?!), e hoje arrastam literalmente a incríveis multidões por onde passam!

E você pode chegar lá, mas antes disso precisa vencer suas barreiras e limites que muitas vezes são pessoais. Se profissionalizar e melhorar continuamente e sempre manter os pés no chão são formas simples de dar um "up" na carreira.

Gostou das dicas dadas sobre como agir no caso de sua cidade não ter uma cena eletrônica? Tem outras sugestões que gostaria de compartilhar com outros leitores interessados no assunto? Você já conseguiu construir uma cena local, mesmo que pequena? Compartilhe como foi sua jornada aqui nos comentários 😉

Sobre o [DJ] Everton Rezende

DJ e "aspira a produtor de música eletrônica", criador da Academia do DJ e do podcast "By Night".Louco por agitar a pista e ver aquele momento em que todos estão cantando e pulando junto com você. Curto muito compartilhar meu conhecimento e minhas experiências com outras pessoas e por isso esse blog existe. "Don't Stop The Party!"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *